sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Por que "Pandarecos!"?

Quem entra no blog, logo percebe que eu tenho grande simpatia por ursos pandas. E não tenho vergonha disso. Minha identificação com os pandas surgiu com a recente animação (muito bacana, por sinal) da Dreamworks, chamada Kung Fu Panda. E quem quiser que ache ruim.. =P

Decidido a criar um blog, após uma reunião do NEVIAL (Núcleo de Estudos sobre a Violência em Alagoas) - do qual ainda pretendo falar bastante por aqui - faltava-me o principal: encontrar um nome. Pessoa dotada de criatividade pouca e cultura menor ainda, decidi que precisava de orientação para tão difícil tarefa. E não poderia me valer de amadores. Era preciso ser certeiro: escolher uma mente brilhante, aproveitar tal brilho e clamar por iluminação criativa. Foi então que me surgiu o nome de minha boa amiga Carla Louise, cognominada, pela graça de Deus e aclamação dos povos, a "Machado de Assis de saias".

Louise, como era de se esperar, não me decepcionou. Em três minutos, apareceu-me com várias sugestões de nomes para o blog. Ah! Eu não contei a melhor parte: folgado que sou, eu solicitei que ela sugerisse nomes relacionados com o termo "Panda". E foi aí que ela me surgiu com "Pandarecos". Mas não antes sem esclarecer que "há várias palavras na língua portuguesa que são compostas pelo termo 'panda'".

Pandarecos são "cacos", "fragmentos" (por sinal, essa coisa de "fragmento" apenas cheira a pós-modernismo, mas que não é a intenção =P). O termo, então, acabou sendo perfeito. Eu acredito - e não tô inventando isso em função do blog - que, efetivamente, tudo que fazemos, mesmo as nossas idéias, comportam, em alguma medida, nossa marca, nossa identidade. Assim, nessa lógica, não seria menos correto afirmar que, em tudo o que fazemos, deixamos um "fragmento" de nós mesmos, como uma impressão digital, que nos identifica. Não é à toa, por exemplo, que um bom amigo, que conhece nosso jeito de falar ou de escrever, ao identificar uma determinada construção lingüística é capaz de afirmar prontamente: "Ah! Esse trecho é a cara de Fulano".

E por fim, se juntarmos todos os fragmentos, todos os pandarecos, e o que teremos? Exatamente aquilo a que me reportei no primeiro post: teremos o todo (ou, ao menos, o todo possível), teremos a história. Louise, desconhecendo totalmente minha idéias sobre o blog, acertara na mosca.

* Esse post é dedicado, singela e merecidamente, ao impetuoso gênio criativo de Carla Louise. =)

3 comentários:

Carolina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carolina disse...

Ops Ops Ops... Quem primeiro lembrou do impetuoso gênio criativo de Carla Louise fui eu, oras!!!

Bruno Lamenha disse...

Eu disse que "me surgiu" o nome da Louise. Surgiu através de sua lúcida dica. =)